sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Virar o Mundo às avessas

Há muitos anos (muito antes da extinção dos dinossauros) eu tinha um chefe "muntaporreiro", daquelas pessoas que conseguem brincar sem nunca perderem o respeito dos subalternos.
Um dia ele precisou de sair mais cedo, por motivos particulares e quando passava por mim eu saí-me com esta piada:
- Ó chefe, se vai sair mais cedo não se esqueça de me deixar a chave da secção!
- E porque não? Já te conheço há tempo suficiente para saber que posso contar contigo, a nível profissional e pessoal. Já te demonstrei que tenho mais consideração por ti do que por alguns dos meus colegas da classe dirigente e estás entre um grupo de três ou quatro operários em quem eu sei que posso confiar qualquer trabalho, que nunca me vão deixar mal. O único motivo que me levaria a colocar algumas reticências na tua capacidade para chefiar a secção, é essa mania de andares sempre na puta da brincadeira.
Quando deixares de atirar bolas de trapo molhadas a quem passa perto do teu posto de trabalho, quando chegarmos a um Verão em que tu não passes o dia com uma mangueira na mão a dar "banho" ao pessoal, quando deixares as brincadeiras de Carnaval lá fora e não andares a pôr rabos aos colegas e a "besuntar" os manípulos do quadro eléctrico com massa lubrificante, para me obrigares a ter de lavar as mãos depois de desligar a luz , podes ter a certeza que estás entre os primeiros a quem entregava a chave e a chefia e ia tranquilo para casa.
Foi muito difícil, mas uns anos mais tarde sempre consegui chegar à chefia (noutra secção) mantendo um pouco deste meu lado "infantil". Por isso, quando o chefe G. se reformou, já velhote, e se despediu de mim com um grande abraço e o desejo de muita sorte, não conseguiu evitar o habitual remoque: "e vê se ganhas juízo, que já tens idade para isso".
Afinal parece que sorte ainda vou tendo alguma, juízo é que nem por isso eheheh. Cada vez vou tendo menos paciência para "graçolas" e "descarrilo" com mais facilidade, mas ainda vou arranjando jeito para uns ataques de "sã loucura".
Posso ter tido alguma dificuldade em afirmar-me profissionalmente numa sociedade demasiado "cinzenta" onde o chefe tem de ser um tipo sisudo e ainda hoje me sinto, de algum modo, deslocado entre algumas pessoas da minha geração e do meu estrato social, mas acho que tenho sobre eles a vantagem de conseguir ver o Mundo ao "microscópio" e pegar naquelas moleculazinhas, desmontá-las em átomos, protões, electrões e neutrões, voltar a montar tudo às avessas e largar uma gargalhada.
Gosto de imaginar como havia de ser cómico se, num passe de mágica, conseguisse que todas as pessoas acordassem, numa bela manhã de Primavera, com o sexo mesmo no meio da testa.
A carga de trabalhos que era cumprimentar aquela amiga ou colega, boazona, com dois beijos, sem ser acusado de assédio sexual.
A dificuldade acrescida de viajar nos transportes públicos, em hora de "ponta", sem dar umas "cabeçadas" naquela passageira da frente, com ar de quem não toma banho há mais de um mês.
E mais engraçado ainda era quando um tipo chegasse a casa "entusiasmado" e a mulher lhe perguntasse:
- Ouve lá, ó Chico, afinal isso hoje é mesmo amor, ou vens outra vez pra me "fod*r o juízo" por causa do jantar estar atrasado.
Eheheheh.

6 comentários:

dinona disse...

Ah pah!

Por acaso também ando sempre na pallhaça no local de trabalho antigo, e quando faltava diziam logo que o dia tinha sido uma seca... e agora que me vim embora anda lá tudo macambúzio.

Claro que no emprego novo ainda nao sou muito palhaça, convém manter o respeito durante um tempinho lol

Lia disse...

para mim isso é um perigo, porque trabalho com miudos que têm aquela tendência a abusar...às vezes tenho que pôr um travão!

Olhos Dourados disse...

Tou a ver que eras terrivel!

mfc disse...

O humor continua ser uma escrita que nos prende a atenção do princípio ao fim.

Síndrome dos Trinta disse...

É favor passar no meu tasco e ver o que lá deixei. :P

Patrícia disse...

Epáááááá!
Essa do sexo na testa... que visão que tive agora de um dia a dia com o mundo todo de sexo na testa, wow! lol
É óptimo levar o dia-a-dia com um ambiente de trabalho descontraído. Também já o tive. Cheguei a ficar 2 horas na escuridão do parque animal onde trabalhava à espera que os tratadores saissem para lhes pregarmos o susto da vida deles. Ou ainda, esperar que todos se fossem embora para podermos saltar à vontade no trampolim das crianças :P Agora trabalho sozinha, completamente abandonada num edifício vazio com 10 escritórios por alugar. *MEDO* :P
Mas é uma das coisas das quais tenho mais saudades é a de ter colegas de trabalho, conversas no trabalho (sobre tudo menos trabalho!) :)