quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Doutores, "Inginheiros" e afins

Ainda hoje eu dava conta, à Liliana, de um certo "cansaço" da escrita, uma certa falta de, não direi inspiração porque seria pretensioso da minha parte colocar, sequer, a hipótese de que é necessária alguma inspiração para escrever as barbaridades que eu costumo escrever, mas uma certa falta de interesse para "olhar"o Mundo e tirar dele conclusões que mereçam ser descritas. Mas se é verdade que o discernimento para escrever vai sendo pouco, o bichinho da "blogosfera" está-me tão entranhado no corpo que o facto de passar um dia sem, pelo menos, dar a minha "voltinha" por aí, quase me deixa febril, com mal-estar geral e, que eu saiba, para este mal ainda não existe vacina. E como o tempo para prestar maior atenção ao que leio é inversamente proporcional à vontade de escrever - eu explico melhor, para que os não licenciados percebam - (ou seja: quanto mais escrevo, menos atenção presto ao que leio, ou quanto menos escrevo, mais atenção dou ao que leio), não raramente, é nestas ocasiões que eu acabo por reparar nalguns pormenores que, noutras alturas – em que ando mais preocupado em dar a conhecer as minhas ideias – me passam despercebidos.

Pois então o que eu volto a trazer "à baila" (porque as crises de falta de "inspiramento" ocorrem com alguma frequência e eu já falei nisto noutros blogues, noutras vidas…), é o facto de algumas pessoas gostarem de alardear títulos, como se o facto de um determinado cargo profissional, graduação académica, ou posição social fizessem parte do seu bilhete de identidade ou, ainda pior, fizesse delas melhores pessoas do que o comum dos mortais. Estou a lembrar-me dos Doutores, "Inginheiros" e afins, possuidores, apenas, de uma licenciatura tirada, sabe Deus em que universidade (agora de momento não me estou a lembrar de nenhum nome em concreto eheheh) e para quem o título é tão importante que não se coíbem de o exibir até nos blogues.
Ora é aqui que "a porca vai começar a torcer o rabo", pois não sendo eu "virgem" nestas coisas (e noutras ainda menos lol), sei bem do "estrebuchar" que este tipo de abordagem costuma causar, mormente nos doutores sem doutoramento e nos licenciados pelas ditas universidades, das quais agora não me lembro o nome (nem eu, nem a maior parte das pessoas), verdadeiras tábuas de salvação para muita gente que, sem elas, nunca conseguiriam obter uma nota decente que lhes permitisse ter acesso ao "canudo". Por isso quero deixar aqui bem claro que nada me move contra licenciados e doutores. Nem mesmo dos que fazem gosto em mostrar, nem que seja no perfil do blogue, que ser "gente grande" depende, na sua opinião, do canudinho de cartolina, a imitar pergaminho, embora o conteúdo do dito blogue seja o primeiro a denunciar que para muita boa gente a predefinição de "agricultura" (dada pelo Blogger") é, ela própria, uma afronta aos verdadeiros agricultores. Aquilo contra o qual me insurjo não é o "canudo" em si, nem sequer ao propagandear de títulos que parece fazer feliz tanta gente. É à falta de coerência entre "embalagem" e conteúdo, pois ainda que um blogue não passe do "muro" onde muitos de nós "grafitamos" as dores que nos magoam a alma, seria bom que, pelo menos os "doutorados" o fizessem num português minimamente aceitável.
É que estou cansado de ver a língua portuguesa assassinada por gente que andou um quarto de século a ocupar vagas na escola. Não estou a falar do/a jovem que acabou o secundário só "porque sim", ou naqueles que "esgotaram" a idade escolar e tiveram que fazer contas à vida. Refiro-me a gente que, nalguns casos, até "andam por aí", a fingir que são professores, não fazendo a mínima ideia de onde colocar um acento, uma vírgula ou um hífen.
Por favor, tenham dó "dagente". O ensino já é tão mauzinho sem "vocêses"…

P.S. Este post não se refere a ninguém da minha lista de blogues e, muito menos, aos comentários, onde a pressa, inimiga da perfeição, nos leva a descurar a gramática.

19 comentários:

Patrícia disse...

Sabes, acho que cada vez mais as pessoas escrevem pior. Não sabem escrever, não sabem falar e nem querem aprender. É vergonhoso!

Lia disse...

ai opá, eu sou professora e baralho-me toda com os acentos... estás a falar de mim??????
Por outro lado eu sei o que inversamente proporcional e não gosto que me chamem "dótóra" que não sou médica... hmmm... vá, é sobre mim ou não? (sou tão convencida, pah!)

Tirei o curso, e fiz tudinho mas bati com a cabeça no fim-de-semana ao cair de um veículo com 4 rodas, dá o desconto, sim?

Liliana disse...

Como concordo contigo, Zé Galo... Eu sou dra., mas só abreviado, que é o que a licenciatura me permite, mas se tivesse feito o doutoramento, assinaria todos os meus posts com Professora Doutora Liliana! Achas?! lol
O grau académico não confere estatuto a ninguém. Ou, melhor, até confere, em certos casos... Mas, para o comum dos mortais, que até se esforça e consegue sair do ensino superior público com uma média satisfatória, não vale de nada. E, falando-se professores, nem vale a pena estar com tretas...
De resto, eu também vejo muitos erros ortográficos em blogues de gente que devia, pelo menos, saber escrever, após tantos anos sentado a aprender (e a gastar o dinheiro ganho pelos pais com muito esforço e trabalho...). Infelizmente, é como diz a Patrícia, cada vez se escreve pior. E a grande questão (e aquela que me assusta verdadeiramente) é que quem escreve mal não se importa com isso. Aliás, para essa gente, até é fixe escrever assim. Gramática? Semântica? Ortografia? O que é isso?... (Se me apanhassem como professora de Língua Portuguesa, carago! Até o chão tremia!!! lol)

Hope for better days, my friend...

Beijoca

mjf disse...

Olá!
Amigo eu acho que a blogosfera pode dar titulos académicos a quem os quiser...Verdade??? falso???
Quem tem merito , licenciaturas bem feitas e faz o que gosta, sem se sentir frustado (a) , não precisa de andar com os " DR " atrás:=)
ehehe
Eu fiz a 4ª classe...tambem dou muitos erros????
Diz-me...please:=((((

Beijocas

Olhos Dourados disse...

A mim não me faz comichão nenhuma que as pessoas usem o título que quiserem. Há quem diga que Doutores são aqueles que tiram o doutoramento. Ora uma vez perguntei aos meus professores Doutorados afinal o que é um Doutor. E realmente até certo ponto esse teoria estava certa.
Um Doutor é aquele que tem um doutoramento, e o título dos meus profes era "Professor Doutor", que é aquele que tem um doutoramento. Mestres, são os que têm mestrado.
Já os Dr. são os apenas licenciados. (não sei se isto também se aplica agora à licenciatura de 3 anos... Como agora todas as pessoas que queiram ser professores têm de ter mestrado, será que aqueles antigos Dr. licenciados também vão ser chamados de mestres? Isto faz-me alguma confusão, toda esta reforma de Bolonha da treta.

Bem, mas voltando ao cerne da questão. Eu nunca escrevo Dr. no meu nome e também não digo às pessoas para me tratarem assim, tanto é, que nem me lembro de tal coisa. Só não gosto quando vêm com essa mania da superioridade e me tratam como criança (porque aparento ser muito mais nova) e vai-se a ver e têm tantas habilitações como eu...

Olhos Dourados disse...

P.s. quanto a escrever mal, nem me digas nada. Conheço pessoal que anda na universidade há montes de tempo (a ocupar vagas que podiam ser para outras pessoas que estudassem) e mesmo pessoas que se gabam de ser licenciados que para além de escrever mal, falam também mal!
Que vergonha!

S* disse...

Hum, sou defensora da ideia de que "se não sei escrever, não escrevo". Dar calinadas não, tento ao máximo evitá-las.

Tenho uma licenciatura, estou agora num mestrado. Sei que escrevo bem. Mas vejo alguns colegas meus - de mestrado!!! - a escreverem mal. Como raio acabaram um curso na área de letras??

Lia disse...

eu calculei que não fosse para mim, mas deu-me para não levar isto a sério senão tinha muito a dizer!
Tive uma sra dra profª de francês que tinhamos que tratar por doutora e afinal tinha o 12º nao mal tirado e tinha era estado muitos anos em França...

opinião própria disse...

O problema da qualidade da escrita na blogosfera existe devido ao carácter democrático da mesma. A única solução para o mesmo, passa mesmo por ESQUECER de vez os referidos "doutoures"...

Carla disse...

Isso só mostra como o grau académico não é tudo... Mas chateia como essas pessoas insistem em ser chamados Drs., engenheiros etc... só porque tiraram licenciaturas doutoramentos e afins

Galo disse...

Professores, S*. Professores de português/inglês, que são as áreas acerca das quais tenho informação mais detalhada, dão erros ortográficos e fazem construções gramaticais que a mim, que tirei um curso técnico equivalente ao actual 9º ano, já em adulto, me deixariam envergonhado.

Malena disse...

É verdade! Alguns professores dão erros. Acho péssimo! Mas não vamos generalizar porque também os há a escrever muito bem. Quanto ao Dr., Especialista, Mestre, Doutor, Engenheiro e afins podem deixá-los escritos nos respectivos certificados porque de certeza que no registo de nascimento não constam do nome de cada um!

eme disse...

Tema polémico este...
É por isso que gosto deste blog!

É verdade que no nosso país é frequente puxar dos "galões" da formação académica, é ver a correria aos bancos para colocar um título atrás do nome do cartão de crédito, é fazer meia dúzia de chamadas telefónicas para as mais variadas instituições para alterar a situação...
Vivemos num país de doutores, porque muitos dos que o são fazem questão de se "fazerem saber", no entanto Portugal está sempre na cauda do ranking no que diz respeito ao ensino.
A culpa muitas vezes é do estigma, as pessoas são invariavelmente rotuladas.Se não tens um curso superior és incapaz.

Cumps

Pronúncia disse...

Quem faz muita questão de usar o grau académico, ainda por cima aqui... normalmente é porque pouco mais tem para mostrar! Digo eu... :)

Liliana disse...

Ó Sé Galo, eu sou formada em Português e Inglês e não dou erros! Vê lá, não metas tudo no mesmo saco, está bem? :D

Voltei aqui, não para comentar este post (porque já o tinha feito), mas sim para comentar o próximo, já que não o posso fazer em sede própria. Assim sendo, quero apenas dizer que subscrevo na totalidade o que escreveste. As lições de vida acontecem diariamente e são-nos transmitidas por todos os que nos rodeiam. É muito bom estarmos receptivos, pois isso só nos torna seres humanos melhores. Assumir uma postura arrogante e pensar que A ou B não têm categoria para nos ensinar alguma coisa é ser altamente presunçoso. Portano, well done! Beijoca

Liliana disse...

P. S. Para que conste, eu escrevi mal o teu nome de propósito...

Lia disse...

então pois claro que quero a tua letra, que raio de pergunta é essa?

Malena disse...

Isto de bloquear janelas de posts não dá. Comenta-se no anterior! :p
Às vezes é espantoso como a idade física parece ser tão importante e sempre conotada com uma maior ou menor "abertura" de espírito. Seria interessante que todos os "bloguistas", de repente, se pudessem ver! Iam ficar boquiabertos!
Tanto que aprendemos ao longo de uma vida! Tanto que ganhamos, todos os dias, com a diversidade de cada um dos que nos rodeiam. Palavras sábias as deste Galo! Muita sorte a desta capoeira!Muito feliz foi o pintainho que teve este pai a "bicar-lhe" a cabeça!
Disse.

Anjo De Cor disse...

Em comentário ao post de cima posso dizer que desde que cá comecei a vir achei sempre que eras um miudo, transpareces muita juventude ;)
Gosto disso!
Bjs*