quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Dá-me grandes cargas de porrada, mas...

Tenho que reconhecer.
Tenho que reconhecer que a "dona" aqui de casa é uma "máquina" em buscas na net. É um verdadeiro cão de "busca e salvamento".
Fartei-me de procurar um programa para converter vários formatos de filmes para .avi.
- Ela encontrou uma data deles.
Há muito que eu procurava um programa (free, of course) para converter filmes de formato .avi para DVD, mas só conseguia versões "trial", ou "free" com a condicionante de ter de ver os filmes com uma marca-d'água a lembrar a propriedade dos direitos de autor.
- A ela bastou uma busca e apareceu logo com um programa e o respectivo "crack".
Sites porreiros para "sacar" filmes.
- Ela tem uma série deles.
Sites para sacar legendas em português PT (se bem que a qualidade não difira muito das brasileiras).
- Num dia apareceu-me com dois.
Os brasileiros gostam de "estragar" os filmes com dobragens (não lhes bastava as legendas miseráveis).
- Ela arranjou um programa para retirar as trilhas sonoras de filmes dobrados.
Na maior parte das vezes as legendas estão dessincronizadas com o filme.
- Ela já tem um programa (ainda não experimentei) para sincronizar as legendas com o filme.
É assim, tudo o que houver na net e os outros não encontrem, ele encontra num piscar de olhos.
Carros usados ou de serviço.
- Ela encontra.
Apartamentos (casas) novos ou usados?
- Ela encontra.
Firmas fornecedoras de todos os materiais possíveis e imaginários?
- Ela encontra.
É preciso um empreiteiro de obras ou pinturas?
- Ela encontra uma dúzia deles.

É verdade, a minha mulher tem uma "relação" de empatia com a net, que muitas pessoas não têm. E tem uma coisa que toda a gente aprecia: simpatia e disponibilidade para ajudar os outros. É uma verdadeira "relações públicas".
Ela trata do nosso IRS, do IRS da filha e de mais vinte ou trinta colegas que lhe pedem, sem lhes cobrar um cêntimo.
Ela marca as nossas consultas (e também aí ela descobre sempre um médico ou uma clínica onde fazer os exames) e as consultas das vinte ou trinta colegas que lhe pedem.
Ela tem sempre a informação certa, na hora certa e se eu lhe desse "corda", a nossa casa era uma filial do serviço de pessoal da empresa (moramos mesmo em frente…).
Mesmo a filha, que é da geração da informática, não sabe tratar do IVA nem do IRS e pede sempre ajuda à mãe, mesmo para resolver os assuntos, sempre complicados, do Ministério da Educação. Há sempre um "grão de areia" a emperrar os concursos e a mãe tem sempre uma palavra a dizer.
Qualquer assunto relacionado com contratos de trabalho, segurança social, impostos, tudo o que implica burocracia, perdas de tempo e irritações, ela consegue e parece que nunca se chateia com nada e o que não sabe, sabe onde procurar.
Além de tudo isso, não se limita ao trabalho dito administrativo. É uma cozinheira bastante competente; sabe de costura o suficiente para arranjar a nossa roupa e se for preciso sabe fazer uma saia ou blusa menos complicada; adora fazer bordados (não! não ganha a vida com as "bordas", ok?) e licores de tudo o que lhe vem à cabeça: de amora, de figo, de ameixas secas, de cereja…
Defeitos? Também tem alguns.
É vaidosa, teimosa que nem um burro, esquece o modo de funcionamento das máquinas, nunca faz a mesma coisa duas vezes do mesmo modo (falta de automatismo que é fatal na condução), vê nem que seja os últimos cinco minutos de um filme, não é muito pontual (é uma atrasada do caraças, vá eheheh), amua durante semanas, não gosta de grandes caminhadas, come tudo e não engorda, ri, descaradamente, naquelas situações em que qualquer pessoa fica irritada, e dá-me grandes "secas" a ver sapatos. Tirando isto, atura-se mais ou menos.
:PPP

14 comentários:

dinona disse...

Não quero generalizar isto.
Mas lá em casa também é assim... a máquina de pesquisas sou eu, de IRS sou eu, de filmes, conversão e o diabo a 7 sou eu...

Agora a minha dúvida... se a tua casa é assim, e a minha também, há grandes probabilidades de as casas de todos os portugueses também serem... o que me leva a crer que as mulheres são mesmo fantásticas lol

Lia disse...

a primeira parte do post remete-me para uma questão: tu retiras filmes, de formas menos licitas, da internet????

Olha que a tua mulher parece ser fantástica, preserva-a!!!

Liliana disse...

Não há muitas mulheres assim. Ou, se calhar, até há, mas os maridos não lhes dedicam posts... :)
Acredito que as mulheres têm realmente o dom de encontrar tudo o que é nessário (de outra forma, os maridos nunca encontrariam as meias ou o que quer que fosse). Quanto aos defeitos, menos mal, a minha metade leva com secas quando estou a ver sapatos, carteiras, livros, cds, roupa, peças de artesanato... Resumindo, preserva o que tens, porque tem valor! :)
Beijoca

Liliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cor do Sol disse...

Isso é amor ;)

Quando precisar de alguma coisa já sei.ihih.

Galo disse...

dinona

Gaba-te cesto! ;D

Galo disse...

Lia

Eu "saco" alguns filmes que encontro disponíveis na net. Se há nisso alguma ilegalidade, os sites estão lá, se eu os encontro, as autoridades, que são pagas por todos nós para fiscalizarem, só não encontram porque não querem.
Além disso uma parte do preço de todo o material multi-média que compramos, reverte para direitos de autor (mesmo que eu nunca pirateie um filme, estou a pagar logo à cabeça), além da mensalidade que pagamos ao servidor.
Para que eu possa "sacar" seja o que for da net, a Vodafone cobra-me €19.90. Por isso seria justo que os autores recebessem dos servidores (e penso que já recebem, através do mesmo "esquema" referido atrás) uma parte do que nós pagamos.
O Mundo está a mudar e os autores vão ter de se adaptar. Não estou a ver um dia ter de pagar direitos de autor por ver e gravar filmes que passam na TVcabo ou na MEO...

Quanto à segunda parte do comentário:
Claro que preservo. Há muitos anos que preservo.

Olhos Dourados disse...

Grande mulher que tens!=)
E andas tu sempre a falar mal das gajas!

Galo disse...

Liliana

Onde é que as mulheres "descobrem" esse raio de maridos que nem encontram as meias eheheh.
Tirando a parte afectiva (que é a mais importante), materialmente eu conseguia viver, na maior, sem mulher.
Sei cozinhar (e cozinho, todos os dias), faço as compras, não lavo roupa porque tenho máquina, não lavo loiça (mas já lavei muita), porque também tenho máquina e se for preciso pregar um botão ou remendar alguma roupa, também sou capaz. Já preguei muitos fechos em jeans, sei subir uma bainha e até já apertei umas calças.
Numa época de maior aperto financeiro, fiz muitas malas, cintos e mochilas.
E a minha mulher nunca me dedicou um post. Só se fosse para me "desancar" eheheh.

Galo disse...

Cor do Sol

Como dizia o outro:
Deve ser amor, porque interesse não lhe vejo nenhum eheheh.

Galo disse...

Olhos Dourados

E ia dizer mal de quem, de mim? eheheh

Patrícia disse...

Que lindo que lindo! =) Realmente um homem sem uma mulher dá em louco, tal e qual como uma casa sem uma mulher parece uma barraca.
Gostei de lêr-te a escrever isto, fica-te bem. Aliás, fica-vos bem a todos. =)
A filha não faz porque tem quem o faça por ela; falo do que sei, pois faço a mesma coisa. Mas felizmente tem um bom exemplo, e quando lhe faltar, ela vai fazer tudo exactamente como viu fazer e viu ser. =)

Lia disse...

hey, tenha lá calma que eu tb saco as musicas e os filmes e tudo...tava só a meter-me contigo!

mfc disse...

mas isto afinal é uma linda declaração de amor!!
E fica-te muito bem...