quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Cuidado com as radiações!

Periodicamente vêm a público as conclusões de mais um estudo efectuado por mais uma universidade americana (até parece que algumas universidades americanas não fazem mais nada além de estudos, alguns deles bastante idiotas), sobre a perigosidade das radiações dos telemóveis.
Confesso que não dou muito crédito à maior parte do que se diz sobre os telemóveis, mas isso não quer dizer grande coisa, porque eu também nego qualquer tipo de superstição e, no entanto, mudei toda a documentação, todos os relatórios e exames médicos, da pasta preta inicial, para uma bem verdinha, cor da esperança.
Ou seja: eu não acredito em bruxas mas, pelo sim, pelo não, deixa-me cá pregar uma ferradura atrás da porta.
De entre todas as dúvidas suscitadas pela utilização dos telemóveis, aquilo que mais me preocupa, como utilizador moderado, é o modo mais adequado ao seu transporte.
Este é um problema que, no que me diz respeito, não se põe nos meses de Verão quando a falta de bolsos me obriga a usar uma bolsa à tiracolo. Eu sei que fico com um ar um tanto ou quanto amaricado mas, hoje em dia, um gajo já tem quase tanta porcaria para transportar como as mulheres e o facto de usar muitas vezes calça de elástico desportiva ( assim do tipo safari), ou calção do mesmo género, causa-me algum receio de que demasiado peso nos bolsos as faça descair de repente e um dia me veja em cuecas no meio da rua.
Mas "prontes", o post é sobre o transporte do telemóvel e, em especial, lá mais para fins do Outono, princípio do Inverno, quando a fartura de bolsos do casaco ou blusão dispensam o uso da bolsa a tiracolo.
A dúvida que então se levanta, é a de saber em que bolso transportar o "dito cujo", sem correr riscos desnecessário com as respectivas emissões de radiação.
Pela parte que me toca, o bolso interior esquerdo fica logo fora de questão, uma vez que está demasiado próximo do coração. E embora eu não tenha problemas cardíacos nem seja portador de pacemaker, nem por isso quero arriscar danificar um órgão indispensável à vida.
Por outro lado, o bolso interior direito fica tão próximo do que me sobrou do pulmão direito, já de si tão danificado e tão sobrecarregado com doses extras das radiação provenientes das TAC's e RX semestrais, que seria despropositado correr o risco de "queimá-lo" ainda mais com as radiações do telemóvel.
Esgotados os bolsos interiores do casaco e com os exteriores do mesmo colocados de parte devido à molhada das chaves que iriam riscar o visor de qualquer telemóvel, restam-me os bolsos das calças. Só que aí há que ter cuidados redobrados, pois se os estudos estiverem correctos e for verdade que um telemóvel ao receber uma chamada emite energia capaz de cozer um ovo, imagine-se o que não faria aos testículos de um gajo, caso fosse colocado num dos bolsos laterais das calças. E, muito sinceramente, confesso que não me apetece mesmo nada um dia destes acordar a falar fininho e com um desejo irresistível de vestir roupa interior de mulher, às escondidas. Há uma idade para tudo e a minha já não é a mais adequada para dar um desgosto à família.
A última hipótese passa pela utilização do bolso traseiro das calças mas aí, além do risco de me sentar distraidamente em cima do aparelho, voltamos ao problema de dar um desgosto à família. Suponhamos que as radiações provocavam uma mutação maluca e em vez de acordar a falar fininho eu acordava com uma estranha comichão no cu.
Acima de tudo, como homem casado e pai de uma filha crescidinha, tenho a noção da importância de preservar a minha reputação de macho, nem que para tal tenha que abdicar do telemóvel.

8 comentários:

Patrícia disse...

As coisas que te passam 'pla cabeça...! Tens uma fértil imaginação, não haja dúvida! Gostei particularmente do facto de teres trocado a pasta preta 'pla verde. É um simples acto, mas que diz bastante, 'plo menos a mim. =)
Quando vou a Lisboa ou sitios onde há fortes probabilidades de ser roubada costumo usar meias daquelas até ao joelho (ainda que estejamos em pleno Verão), para guardar o dinheiro dentro das mesmas, se calhar era uma boa ideia para transportar o telemóvel, não? :D

opinião própria disse...

O melhor seria esquecer o telemóvel. A maior parte das vezes as chamadas recebidas são mais para nos chatear do que para outra coisa. Mas é um dos grandes vícios da sociedade moderna...

Pronúncia disse...

E que tal uma daquelas bolsas que se colocam no cinto?!... é uma ideia! ;)

dinona disse...

Os estudos... os estudos.

Também li um que dizia, Ah afinal o sexo pelo pipi não transmite a Sida, e depois li outro que dizia que o exercício não emagrece, e depois li outro que dizia que mais de 3 cafés faz mal e curiosamente passado um mês dizem que 5 cafés por dia faz bem...

Olha, não ligues a isso e transporta o telemóvel onde mais gostas... ou seja, no meio do reguitooo :-D eu pelo menos gosto, então quando aquilo vibra é a loucura lol

Olhos Dourados disse...

Ou então andas sempre com a bolsa a tiracolo! Já viste, nós gajas não temos esse problema, andamos sempre com uma mala de viagem atrás!

Galo disse...

dinona
Acho que isso, em linguagem comercial, se chama "rentabilizar os activos".
Pra quê adquirir um vibrador, se o telemóvel é capaz de fazer o mesmo.
Agora há outro problema. Com chips cada vez mais pequenos, há a tendência de os telemóveis ficarem reduzidos ao tamanho de botões de punho, o que vai tornar cada vez mais difícil encontrá-lo, especialmente quando transportado no meio do "rego" eheheh.

a estagiária disse...

Então... mas eu pensei que tu de vez em quando já usasses a roupa interior de gaja lá por casa.. ;)
Mas se não queres que passe a ser uma situação definitiva eu acho que a bolcinha do cinto de facto é a melhor solução para quem não quer usar sacolas..

Carla disse...

E que tal trocar as chaves de bolso? :p