segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Os preliminares já estão!

Ora bem, depois destes incentivos deixados por diversas meninas (diverte-te a tapá-las; essas gretas bem tapadinhas; vai lá tapar as gretas; vai lá tapá-las e elas que fiquem bem tapadinhas e sem humidade (esta não sabe que as gretas se querem húmidas eheheh), está na altura de explicar por que motivo já aqui estou agarrado ao PC, em vez de estar a tapar as gretas.
Como as meninas devem saber, isto de tapar gretas é uma actividade que requer alguma dedicação e o cumprimento de determinados preceitos, para que a maldita greta não volte a abrir, mal o artista vire costas, convencido de que deixou a clientela satisfeita.
Assim, o dia de hoje foi dedicado aos preliminares. Os preliminares são muito importantes neste ofício de tapar gretas.
Primeiro temos de avaliar a dimensão da greta e verificar cuidadosamente se temos capacidade para o serviço. Há que tactear os bordos e a greta propriamente dita até termos a certeza de que o nosso material é adequado e se não for, ter a honestidade de reconhecer a incapacidade para o serviço.
Ter sempre em atenção que, tanto a greta como a ferramenta a utilizar, devem estar limpas e isentos de poeiras (há gretas que até já ganharam teias de aranha lol).
Antes de se iniciar o trabalhinho, devem abrir-se ligeiramente as gretas, para que o material entre de maneira uniforme e só depois se dão as primeiras pinceladas. Evitar arestas vivas, para não dar cabo do pincel. A pressa é inimiga da perfeição e deixar pêlos entalados na greta pode originar maus acabamentos que, de futuro, podem representar uma carga de trabalho.
Outra coisa a ter em conta, é o tempo entre demãos. Não respeitar os intervalos de repouso do material, pode originar fissuras no futuro e quando mal esperamos temos a greta a abrir-se de novo e outro artista contratado para resolver o problema. E isso, além de ser péssimo para o ego, é o primeiro passo para a difamação e a consequente perda de clientes.
Abreviando (antes que "alguém" ache muita fartura de conversa e comece a ler na diagonal eheheh), regressei a casa cedo, porque hoje me fiquei apenas pelos preliminares. Não quis partir para a fase seguinte sem deixar a greta bem preparada, mas amanhã lá estarei pronto para o ataque.
Quem sabe este trabalho "caseiro" corre bem e ainda arranjo freguesia... mas hoje vou mesmo ficar por aqui, porque estou de rastos.
E a ver se não me esqueço de levar um pincel maior e mais rijinho, porque esta greta é das tais (é a terceira vez que a tapo mas ela volta sempre a abrir...).

6 comentários:

mfc disse...

"A arte de bem cavalgar toda a sela"...

Pipoca disse...

Arranja lá um picel em condições, para ver se à terceira é de vez...
Descobri agora o teu blogue, achei graça ao post.

Pronúncia disse...

A língua portuguesa é muito traiçoeira... fartei-me de rir com este post!

Boas tapadelas para amanhã! :D

Patrícia disse...

Oh artista! Não me espanta que apareça outro para tapar a tua greta. As gretas não se tapam com pinceis, mas sim com espátulas :P

Peão disse...

Que belo ensinamento sobre a arte da boa tapagem de gretas... =X deveras interessante (sim, só apanhei algumas partes, tais como, a dedicação aos preliminares, "o tempo entre demãos", "atenção à ferramenta" e bla bla - resumindo, os inícios de parágrafos)...

Quanto ao real conteúdo... OH pah, que fraquinho, ficas logo de rastos só com os preliminares?! Bem me parece que a greta é díficil, mas há que ser persistente!! E se queres que a coisa fique bem feita, fá-la com afinco e dedicação ;)

Patrícia disse...

LOOOOOOL
Oh Fred, tão bem elaborado este texto! Gostei de lêr. =)