terça-feira, 25 de agosto de 2009

Estou capaz de fuzilar um gajo. Adivinhem quem!

Não me "alembra" se já vos disse que detesto pintar. Pintar seja o que for, pra mim é pior do que ir a pé a Fátima.
Agora digo-vos uma coisa: se pintar já é um "pincel" do caralhinh*, pintar com tinta de areia – ou tinta "texturada" – devia ser proibido por decreto.
O gajo que inventou a tinta, devia ser condenado à morte, por garrote. Agora o cabrão que inventou a tinta de areia – ou tinta texturada, ai não me toques – devia ser empalado num poste telefónico.
Eu não percebo nada de obras mas, antes de mandar fazer um trabalho, gosto de tentar fazer eu as coisas e, não é pra me gabar, mas tenho-me saído bem. Sou mais atrevido do que habilidoso, mas sou desenrascado em qualquer trabalho. Em qualquer trabalho desde que não meta pinturas. "Quédzer, as pinturas até nem me saem muito mal, só que eu não gosto. Eu DE-TES-TO a tinta, o cheiro da tinta, a consistência de nhanha da tinta e a tinta de areia – ou tinta texturada, prós gajos delicodoces – devia ser banida.
Como vos contei na semana passada, andei três dias a contas com umas gretas (aquilo eram mais rachas do que gretas, vá.) numa casa velha. Não tenho dinheiro para palácios, tenho de me contentar com uma casa velha com gretas promovidas a rachas. E como os "entendidos", quando se lhes fala de rachas, fazem um bicho-de-sete-cabeças e ninguém quer assumir o risco das gretas promovidas a rachas voltarem a abrir, aqui o Je decidiu inventar. Por agora não vou dar dicas, porque se "a coisa" correr mal, não quero passar vergonhas.
Eu cá gosto de experimentar. Um gajo sem experimentar fica sempre na dúvida (não estejam já com ideias pecaminosas, porque merdas com gajos eu nunca experimentei e não espero experimentar, ok?). Ao contrário, os "profissionais" da treta são pouco inovadores. Pouco inovadores e só gostam de trabalhos grandes (mesmo que depois fiquem "a arder", porque o empreiteiro não lhes paga lol). Por isso é que eu me meto a fazer obras, correndo o risco de ter que aturar as "madames" cá de casa, que só sabem meter defeitos.
Mas quando chega a hora da tinta é que eu fico bruto. Antes de começar a pintar já eu começo a encalhar nos móveis e a mandar as minhas caralhad*s (ando sozinho na obra ok? eheheh) Depois quando a tinta começa a escorrer para o chão, a pingar-me na cabeça (só aí é que eu me lembro do boné lol) e nos móveis, fujam-me da frente que eu até espumo. Hoje pisei um pingo de tinta e depois andei a passeá-lo pela casa toda. Sexta-feira a gaja vai-me aos fagotes, quando tiver de limpar a merd*a que eu ando a fazer eheheh.
Agora o que me põe a falar sozinho é mesmo a tinta de areia… mas hoje não falo mais de tinta de areia, dasssssse!

6 comentários:

S* disse...

Ai quando ela vir que fizeste pinturas artisticas no chao da casa. Ate te esfola.

Homens a dizer palavrões enquanto trabalham?? Típico.

Pronúncia disse...

E a pintura tinha mesmo que ser em tinta de areia?!...

Parece-me que o teu problema não é a tinta, mas a pintura!

Boas pinceladas, ou roladas (caso estejas a pintar com rolo) :D

Fred Eat Cock (a caminho de "virar" Galo) disse...

Pronúncia

Tem de ser com tinta de areia, pois é a única maneira de "esconder" os remendos das gretas.
E estamos a falar numa casa de aldeia, com paredes rústicas que pedem mesmo este tipo de tinta, para disfarçar irregularidades.
Mas o problema é mesmo a minha aversão a tintas e a falta de paciência, porque a tinta de areia rende pouco.

Cor do Sol disse...

Se fores como o meu pai dás cabo de tudo. Eu costumo chamar-lhe o 2 em 1. Arrajam - estraga ou o limpa e borra.ehe.

a estagiária disse...

Não percebo.. Juro que não percebo...
Sempre que vejo alguém a pintar, seja o que for, dá-me logo vontade de pegar nos pincéis e começar a borratar tudo à minha frente.. É a coisa mais gira das obras!!!
Vá.. não sejas resmungão e pinta lá isso tudo direitinho.. e sem pintas no chão hum??

Anónimo disse...

necessario verificar:)