segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Com demagogia "nataleira", não vamos lá

Hoje de manhã ouvi na rádio que para fazer face à vaga de frio que aí vem, a Protecção Civil iria reforçar os planos de ajuda aos sem-abrigo e fiquei logo a remoer e a rosnar, porque é certo e sabido que no dia seguinte aquela gente vai continuar na rua.
Sabemos que são pessoas com problemas ligados à droga e ao álcool, pessoas com graves problemas psíquicos. Uns foram ali parar devido a problemas psicológicos, outros terão problemas psicológicos por terem ido ali parar.
A pergunta que se impõe é se um estado que tem milhões de €uros para ajudar os banqueiros corruptos, não teria a obrigação de tirar estas pessoas da rua.
Abram a Mitra, arranjem um lugar onde estas pessoas vivam e durmam, onde comam uma sopa quente todos os dias e deixem de gastar dinheiro com paliativos "nataleiros".
É verdade que muitos deles não iam querer cumprir regras e preferiam ficar pelas ruas a mendigar, mas desde que o Estado criasse condições de acolhimento digno, tinha toda a legitimidade para proibir a mendicidade. Medidas avulso, distribuição de sopa e chá, em véspera de Natal, não é solução para nada.
Esta notícia fez-me lembrar uma anedota que se contava acerca do Salazar.

Estando um dia Salazar na varanda do Palácio de S. Bento, achou estranho ver um homem a comer a relva do jardim e mandou logo que o fossem prender e o trouxessem à sua presença.
- Então, meu amigo, o que é que se passa consigo? Enlouqueceu e pensa que é um burro, e anda a comer-me a relva do jardim?
- Desculpe Senhor Doutor, é que tenho 12 filhos, a mulher é muito doente e sou só eu a trabalhar. De maneiras que, para aliviar um bocado o orçamento, eu vou comendo uma ervinha pelo caminho e quando chego a casa já não janto.
Pois então, para que o meu caro concidadão não volte a passar fome, aqui tem este cartãozinho que vai resolver o seu problema.
De boné na mão, o pobre trolha analfabeto, desfeito em salamaleques, foi saindo às arrecuas e mal se apanhou na rua, não cabendo em si de contente, correu logo direito a casa onde deu o cartão a ler ao mais velhito dos garotos, enquanto contava atabalhoadamente o sucedido.
- Então rapaz, o que é que diz o Senhor Doutor?

- O portador deste cartão, está autorizado a comer erva em todos os jardins públicos de Portugal Continental, Ilhas Adjacentes e Províncias Ultramarinas (era assim que se chamavam, lembram-se?).

Assinado

António de Oliveira Salazar.

F'dassssse, com beneméritos assim, quem é que precisa de Protecção Civil? eheheh

14 comentários:

Lia disse...

No Natal somos todos muito solidários e amiguinhos e tudo e tudo e tudo... mas depois os que têm verdadeiras nescessidades continuam a tê-las... ehk!

Gira a anedota, era um amigalhão o Salazar!

Ah, e não me lembro nada de "Ilhas Adjacentes e Províncias Ultramarinas" que não sou desse tempo!

teiasonhos disse...

LOL
Fica bonito no currículo do governo, fazer estas coisas bonitas, que aparecem no telejornal e dão bom ar às pessoas, oh, tão caridosas, que ricas almas. Oh pá, por mim se forem dar a sopa e o chá todos os dias parece-me bem, agora só no Natal, deixem-se lá de publicidade.
***

Lia disse...

ah...quanto à musica...está a dar uma espécie de Natal nos hospitais na TVI, tens boas probabilidades de ouvir essa pérola... eu até ajudava a estar atenta mas como tenho mais canais na tv vou ver outra coisa, sim?

Galo disse...

Bolas, Lia, afasta dji mim essi cálici, pai.
Prefiro não saber.

Martins disse...

Já não é mau os sem abrigo receberem uns cobertores extra. Isso de um tecto para passarem durante estes dias gelados já é uma ideia muito dificil de conceber para os nossos governantes. Agr se falarmos em TGV ou em aeroportos, a conversa já muda de figura.

bah

Ajudem mas é quem precisa e deixem-se de extravagâncias!

*

a estagiária disse...

Clap clap clap.. é isso tudo..!

Cat disse...

Não podia concordar mais. Enjoa-me tanta campanha e causa e tanta merdinha no Natal quando no resto do ano, caput para a solidariedade toda.

Em especial, os sem-abrigo, os apoios que recebem são de ONG quando o primeiro a contribuir nesse sentido deveria ser o Estado!

chapeu de sol amarelo disse...

em vez de andarem a querer construir um TGV que ninguém vai usar, arranjem um sítio para essas pessoas viverem e trabalharem! Eram dinheiro gasto de forma muito mais inteligente!

Mariquita disse...

Eu não sei até que ponto mesmo com boas condições eles ficariam numa casa de acolhimento... Muitos estão nas ruas por opção.

Sara* disse...

Realmente estas coisa já cheiram mal, lá vao eles, ditos famosos
- ha e tak«l eu venho ajudar a dar sopinha a eles coitadinhos que têm tanto frio, e os governantes fazem a mesma a coisa, mas depois, longe das camaras ate mudam de rua so para nao se cruzarem com eles.
Temmos pobres sim, mendigos e sem abrigo, eles precisam de um sitio seco e quente para dormir, e nao é só quando estamos perto do natal é todos os dias.
Parem de enterrar o dinheiro em Merdas que um pais como o nosso nao precisa.

Malena disse...

Eles deixam para a população civil a tarefa de se confrontar com a miséria e ir ajudando aqui e ali. Assim podem reservar a caridadezinha deles só para as épocas em que mais convém dar nas vistas!
Mas só eu e tu é que somos do tempo das Ilhas Adjacentes e Províncias Ultramarinas??? Ai cum caraças!!!!
Abraço

Anira the Cat disse...

É só tapar o sol com a peneira furada...

D* disse...

É isto que me irrita! É que só dão atenção aos sem-abrigo nestes dias de "festa", nos outros restantes dias do ano ninguém se importa...

MarKekas disse...

Até me custa comentar isto.. porque estas iniciativas de merda (não pela iniciativa, mas pq podiam fazer muuuuito mais) deixam-me nervoso e depois começo a dizer asneiredo!! Cambada de hipócritas estes governantes!!!!! :o[]